Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Em época de chuvas, precisamos falar sobre esgoto!



A famosa expressão popular “tudo o que vai, um dia volta” pode exemplificar de modo bastante realista o sistema de esgoto dos municípios. Casos de entupimentos e extravasamentos nas tubulações de esgoto são, na maioria das situações, provocados por lixo descartado em local inadequado ou água da chuva.

Sabe aquele resto de comida que foi jogado na pia da cozinha? E aquele papel higiênico descartado pelo vaso sanitário? Tem ainda o óleo vegetal que, em vez de ser reaproveitado, foi lançado no ralo. E água da chuva que foi despejada incorretamente na rede? Todos estes resíduos que, em algum momento, foram destinados para a rede de esgoto, retornarão trazendo algum tipo de problema, seja entupimento das ligações ou das redes, extravasamento das tubulações ou até retorno de esgoto para dentro dos imóveis.

Na RMR, a BRK mantém uma rotina preventiva contínua de limpeza das redes, mas também alerta para alguns cuidados que a população deve ter para evitar transtornos com a rede de esgoto. “Mesmo intensificando as ações de manutenção preventiva, ainda assim o uso correto do sistema de esgoto deve ser um hábito e, principalmente, um compromisso de todas as pessoas. A maneira como cada indivíduo utiliza o sistema de esgoto reflete diretamente em sua estrutura e pode causar prejuízos à saúde e ao meio ambiente quando utilizado de forma incorreta”, esclarece o gerente da área de coleta da BRK, Rodrigo Viana.

Ele informa ainda que, durante o trabalho de limpeza das redes e das ligações de esgoto, os materiais mais encontrados são resíduos sólidos, como fio dental, papel, brinquedos, latinhas de cerveja, absorventes, peças plásticas e gordura proveniente do descarte do óleo de cozinha pelos ralos das pias. Para evitar a obstrução das redes, Viana orienta que as pessoas não joguem lixo e óleo de cozinha pelas instalações sanitárias das casas, ou seja, pelos ralos, pias e vasos sanitários de qualquer parte da casa. “Esgoto não é lixo”, ele reforça.

É importante ressaltar, ainda, que a água da chuva ou pluvial nunca deve ser despejada na rede coletora de esgotos, pois em grande volume pode danificá-la seriamente. A água da chuva que desce pelas calhas dos telhados, se lançada nos ralos, sobrecarrega a rede coletora de esgotos, gerando entupimento também. Para evitar problemas, as calhas devem lançar a água da chuva ao destino correto, ou seja, para as galerias de águas pluviais e na sequência diretamente aos rios e córregos.

 

ORIENTAÇÕES

•    Para evitar transtornos com as tubulações de esgoto dentro dos imóveis, a recomendação é fazer uso das caixas de gordura e mantê-las sempre limpas;

•    Todo imóvel deve ter uma caixa de inspeção acessível, na calçada ou próxima dela, para que seja possível identificar problemas no esgotamento e para realizar a manutenção das ligações de esgoto;

•    Todo imóvel deve manter separadas as redes de esgoto das tubulações de água pluvial (água de chuva);

•    O óleo de fritura, depois de utilizado no preparo dos alimentos, deve ser armazenado em garrafas plásticas e destinado a reciclagem;


Os entupimentos das redes e ligações de esgoto, além de causarem prejuízos como transbordamento em vias públicas e riscos ao meio ambiente, também podem contribuir para a proliferação de doenças. Deste modo, a conscientização coletiva sobre o tema é fundamental. A BRK incentiva a população a conhecer mais sobre a importância do uso correto das redes de esgoto. Acesse https://blog.brkambiental.com.br/esgoto-nao-e-lixeira/ para mais informações.


BRK ambiental Pernambuco

A BRK Ambiental é uma das maiores empresas privadas de saneamento do Brasil. Mantém investimentos em mais de 100 municípios do país, disponibilizando serviços que beneficiam mais de 16 milhões de pessoas, de norte a sul do Brasil. Em Pernambuco, a BRK Ambiental está presente na Região Metropolitana do Recife (RMR) e no município de Goiana desde 2013, por meio do Programa Cidade Saneada, uma parceria público-privada com a Compesa, e já investiu mais de R$1,2 bi no local. O objetivo do projeto é a operação, manutenção e ampliação do atendimento dos serviços de esgoto em todas as 15 cidades atendidas.

Postar um comentário

0 Comentários