Últimas Notícias

Seminário na Alepe debate Alienação Parental nesta quinta-feira (26/04)



No Brasil, aumentou em mais de 160% o número de divórcios, somente entre 2004 e 2014, segundo dados do IBGE. Nesse sentido, houve também a elevação no número de guardas compartilhadas – modelo em que os pais dividem as responsabilidades e decisões cotidianas na vida dos filhos – que cresceu, de acordo com o Instituto de Geografia Estatística, de 2014 para 2015, de 7,5% para 12,9%.

Tais levantamentos sinalizam para a possibilidade crescente de ocorrerem casos de Alienação Parental – prática que consiste em programar uma criança/adolescente para, sem justificativa, odiar um de seus genitores (pai/mãe),  comprometendo o vínculo com este(a),  e que pode resultar em alterações no rendimento escolar, baixa estima da criança/adolescente, isolamento social, além de situações mais complexas de ansiedade e depressão, sem falar na ocorrência de crimes motivados pela prática, como o caso mais extremo de falso abuso.

Baseado nesses dados e tendo em vista a Semana Estadual de Combate à Alienação Parental, o deputado Zé Maurício, autor da Lei Nº 16.106/2017 – que passa a fixar a “Semana Estadual de Combate à Alienação Parental” no Calendário Oficial do Estado, no período em que conste o dia 25/04, alinhado com os debates internacionais sobre a temática – propôs o I Seminário de Articulação: O Estatuto da Criança e do Adolescente e o Papel dos Conselheiros Tutelares no Combate à Alienação Parental, que acontece na próxima quinta (26/04).

A abertura do evento (aberto ao público), que ocorre a partir das 13h30 no auditório Ênio Guerra da Assembleia Legislativa de PE, contará com a presença de autoridades como o Secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Cloves Benevides; e do Presidente da Associação dos Conselheiros Tutelares do Agreste Setentrional, Diego Silveira Santos.

Dividido em dois painéis temáticos, o Seminário discutirá a Alienação Parental na Visão do Estatuto da Criança e do Adolescente a da Lei Federal Nº 13.431/2017 – que estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência – , bem como, o Papel dos Conselheiros Tutelares no Combate à Alienação Parental.

“Tive a satisfação de participar em março, do I Diálogo Interestadual do SGD e Redes de Atendimento, promovido pelas Associações de Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares de Pernambuco na Faculdade de Igarassu (Facig), o que nos permitiu visualizar a relevância da Lei Federal Nº 13.431/2017 – que aborda, entre outros pontos, a alienação parental, enquanto interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente – , e também a pertinência do trabalho dos Conselheiros Tutelares, elementos essenciais para o enfrentamento a esse tipo de prática”, comenta o deputado Zé Maurício, sobre alguns dos pontos que inspiraram a criação do Seminário.

Segundo o parlamentar, o Seminário da próxima quinta (26) cumpre a perspectiva da Semana Estadual de Combate à Alienação Parental, visto que busca, através da interação entre as diversas instâncias e profissionais relacionados à AP, debater formas de enfrentamento a essa prática nociva e que traz consequências destrutivas para o convívio familiar e social.
Cartilha contra Alienação

Fruto de um estudo conjunto entre o Deputado Zé Maurício e sua equipe, a Procuradoria Geral da Alepe, o Centro de Apoio Psicossocial (CAP) do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o Conselho Regional de Psicologia de Pernambuco - 2ª Região (CRP-PE), além da Faculdade DeVry Boa Viagem (DeVry/FBV), a Cartilha de Orientação às Crianças e Adolescentes para Prevenção da Alienação Parental foi lançada no fim de 2017 e é resultado da Lei Nº 15.447/2014 do parlamentar, que determina a disponibilização do Documento, de forma impressa em bibliotecas públicas e privadas de PE, e em formato digital em sites institucionais do Estado.

O material reúne locais, onde as vítimas podem buscar apoio legal para os casos de Alienação Parental, além de trazer sugestões de sites, filmes, leituras recomendadas, legislação sobre o assunto; procedimentos no âmbito jurídico para as situações desse tipo, entre outros pontos apresentados em linguagem lúdica, visando não só à leitura pelos pais, como pelo próprio público infantil, maior vítima dessas situações. Confira a programação completa do I Seminário de Articulação - O Estatuto da Criança e do Adolescente e o Papel dos Conselheiros Tutelares no Combate à Alienação Parental:


Dia: 26 de abril de 2018

Hora: 13h30 às 17h

Local: Auditório Ênio Guerra – 4º andar do Anexo I da Assembleia Legislativa de Pernambuco

Inscrição:

13h às 14h

Abertura do evento:


14h às 14h30

Mesa

Deputado Zé Maurício

Cloves Benevides - Secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude

Diego Silveira Santos – Presidente da Associação dos Conselheiros Tutelares do Agreste Setentrional

1º Painel

14h40 às 15h40

Alienação Parental na visão do estatuto da criança e do adolescente a da lei federal Nº 13.431/2017


Mediadora


Dra. Maria Emília de Oliveira Queiroz - Coordenadora Acadêmica do Curso de Direito da DeVry Unifavip

Palestrantes

Dr. Humberto Miranda – Coordenador do Programa de Escola de Conselhos de Pernambuco da Universidade Rural de Pernambuco

Dra. Paula Maria Malta Teixeira do Rêgo – Juíza da Decima Primeira Vara da Família da Capital


2º PAINEL

15h50 às 16h50

Papel dos conselheiros tutelares no combate à Alienação Parental

Mediador

Fernando Bezerra - Conselheiro Tutelar da Cidade de Igarassu

Palestrantes

Geraldo de Azevedo Nóbrega – Consultor na área da Criança e Adolescente e Professor da Escola de Conselhos de Pernambuco

Dra. Helena Maria Ribeiro Fernandes – Psicóloga Chefa do Centro de Apoio Psicossocial do Tribunal de Justiça de Pernambuco


Encerramento

16h50 às 17h

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.