Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

de combate às arboviroses



Ao mesmo tempo em que ações contínuas de prevenção ao novo coronavírus são realizadas, a Prefeitura de Limoeiro não cessa no combate às arboviroses. Seja nos bairros ou nas comunidades rurais, os Agentes de Combates às Endemias (ACE) trabalham para identificar e eliminar possíveis criadouros do Aedes Aegypti – mosquito responsável pela transmissão de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya.

“Por conta da pandemia do novo coronavírus, doenças como a Dengue estão sendo menos faladas, porém, não deixaram de existir, e continuam vitimando. É preciso o mesmo esforço conjunto entre poder público e sociedade para que a proliferação não aumente e cause ainda mais transtornos e perdas para nossa população. O trabalho dos agentes também salva vidas”, destacou o prefeito Orlando Jorge.

No último sábado (16), as ações foram desencadeadas no Sítio Esperança. Sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Ambiental, os agentes vistoriaram centenas de reservatórios residenciais. “Estamos buscando reduzir o número de criadouros para minimizar o máximo possível de infestação de mosquitos”, destacou o coordenador da Vigilância, Jeanderson Freitas.

Para ele, a população precisa colaborar com simples hábitos. “A conscientização da população para evitar os criadouros nas residências e realizar o descarte adequado de materiais que possam vir a ser possíveis criadouros ainda é a forma mais eficiente de combater esse mosquito”, reforça. “Para isso, é preciso que cada pessoa verifique seu quintal, ao menos, uma vez por semana”, completa.

“Primeiramente, os agentes realizam o trabalho de orientação e prevenção junto ao morador sobre a importância de sempre verificar se no imóvel há a existência de possíveis criadouros do Aedes, e que possa ser eliminado de forma mecânica. Outra forma de eliminação das larvas desse mosquito é realizando o tratamento focal com uso de larvicidas específicos”, explica Jeanderson.

A ação de bloqueio costal é uma atividade complementar às demais já executadas pela Vigilância Ambiental, tais como palestras educativas, mobilização social e mutirões para remoção de criadouros. Manter o saco de lixo bem fechado e fora do alcance dos animais até o recolhimento pelo serviço de limpeza urbana é uma dica importante.

Manter a caixa d’água completamente fechada para impedir que vire criadouro do mosquito e manter bem tampados tonéis e barris d’água também são medidas simples para combater o mosquito. A coordenação do órgão também recebe demandas através de informações de moradores, a exemplo de imóveis fechados, o que gera uma visita de fiscalização e controle. Informações e denúncias podem ser feitas pelos números: (81) 9 9529 7304 (WhatsApp) ou (81) 9 7333 6484.

* Na foto: Equipe de Agentes de Combate a Endemias no Sítio Esperança (Foto: Vigilância Ambiental de Limoeiro/PE)
Você Sabia?

Postar um comentário

0 Comentários