Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Cenário Musical Limoeirense de Luto; Morre vítima da Covid-19 Nado do Violão



A cidade de Limoeiro amanheceu de luto com a fatídica notícia da morte de Ednaldo do Nascimento Marques, ou simplesmente, Nado do Violão (nosso Milton Nascimento). Ele estava acometido dos sintomas da Covid-19 e foi internado no Hospital do Vale (antiga Casa de Saúde e maternidade de Limoeiro), onde lá precisou de um leito de UTI e foi entubado para tratamento da Covid, mas seu quadro se agravou e o mesmo veio a óbito na madrugada de hoje (18). Ednaldo tinha 44 anos e morou por longos anos na COHAB Velha, Rua M. Ele é filho da famosa rezadeira Alaíde, a qual era bastante requisitada em Limoeiro nas décadas de 80. 90 e começo dos anos 2000. Segundo relatos médicos Nado tinha apresentado um quadro de deficiência respiratória e precisou ser internado por conta da baixa saturação e em menos de 24 horas do procedimento de intubação, o mesmo não resistiu às complicações e faleceu. 

O menino pobre da COHAB, sempre demostrou desde pequeno, vocação musical e foi através da música que ele ficou conhecido e mais especificamente por tocar violão e gostar das músicas do Milton Nascimento, cantor ao qual Nado tinha uma enorme admiração e inspiração. Ednaldo dava aulas de violão particulares, além de tocar nas igrejas de Limoeiro como forma de agradecer a Deus pelo dom a ele dado. Como a música em si não lhe sustentava, ele também trabalhava para poder se manter e foi na OSSI (Obra Social Santa Isabel) que o mesmo uniu o útil ao agradável e pôde trabalhar fazendo o que mais amava que era tocar vilão. Na OSSI ele foi professor de violão e formou muitos instrumentistas que seguiram a carreira graças a ele. Além de tocar nas igrejas Nado como bom músico que era ajudava seus amigos cantores nas apresentações dos mesmos em eventos particulares ou festas públicas. Uma de suas apresentações marcantes foi na Festa de São Sebastião quando o mesmo em parceria com a cantora Márcia Adriana fez uma magnifica apresentação sendo o violonista da interprete Limoeirense. 

Foi nas Redes Sociais que os amigos deram o ultimo adeus virtual, pois o presencial ocorreu em forma de carreta com um cortejo fúnebre passando pelas principais igrejas onde ele também costumava ajudar com eventos de outras denominações religiosas. As mais belas palavras não descreviam o sentimento de luto de muitas pessoas que fizeram questão de parar para ver o cortejo e dar seu último adeus ao amigo de sempre. Ednaldo deixou uma esposa e milhares de amigos saudosos que lembraram dele sempre sorrindo e tocando seu violão demostrando muita fé. O cortejo fúnebre seguiu pelas de Limoeiro e foi encerrado no Cemitério São João Batista, em Limoeiro, onde o corpo repousa em uma cova.

Postar um comentário

0 Comentários