Propaganda

Últimas Notícias



A polêmica da cor do tênis ("verde e cinza ou rosa e branco?") está de volta. A brincadeira, que viralizou em 2017, voltou a aparecer, nesta sexta-feira (3) no Twitter, Facebook, Instagram e em correntes do WhatsApp. A discussão é parecida com a do vestido que muda de cor, viral de 2015, que ninguém sabia ao certo se era azul e preto ou branco e dourado. Depois disso, outros mistérios dividiram a Internet. Desta vez, o desafio do tênis vem acompanhado de uma informação a mais, sobre o suposto motivo para que as pessoas vejam cores diferentes na mesma foto. De acordo com a mensagem que circula nas redes sociais, a razão seria o lado predominante do cérebro de cada um. 

No Google Trends, ferramenta que monitora as buscas na Internet, o aumento do interesse pelo desafio começou na segunda-feira à noite, por volta das 21h. O pico das pesquisas sobre o assunto, até o momento, foi às 11h. No Twitter, usuários reproduzem o meme e questionam seus amigos sobre as diferentes interpretações da ilusão de ótica. Em 2017, o TechTudo descobriu a verdadeira cor do tênis com a ajuda de um aplicativo. O PicsArt, app grátis para iPhone (iOS) e Android, conta com uma ferramenta de edição de imagem, que permite selecionar as cores e vê-las em uma escala. Ao fazer isso, o aplicativo aponta para a tonalidade real. Assim, o mistério foi resolvido: o tênis, na verdade, é da cor cinza e verde-água. Na corrente que está viralizando desta vez, o texto traz uma informação a mais: o suposto motivo para que as pessoas vejam cores diferentes. 

"Já viram esse teste? Pessoas com dominância do lado esquerdo do cérebro enxergam tênis cinza e verde. As com dominância do lado direito enxergam rosa e branco", diz a maioria das postagens. De acordo com o médico Rafael Monteiro, neurologista do Hospital Samaritano, a corrente é baseada em uma teoria que não tem qualquer comprovação científica. "É mais ilusão de ótica do que a ver com os hemisférios do cérebro. Há uma parte do cérebro que é mais analítica e outra mais emocional, mas isso não tem como a pessoa controlar", explica. De acordo com o médico Rafael Monteiro, neurologista do Hospital Samaritano, a corrente é baseada em uma teoria que não tem qualquer comprovação científica. "É mais ilusão de ótica do que a ver com os hemisférios do cérebro. 

Há uma parte do cérebro que é mais analítica e outra mais emocional, mas isso não tem como a pessoa controlar", explica. Segundo o neurologista, é possível que você consiga visualizar a cor verdadeira após descobrir qual tom pertence realmente à imagem. "A gente vê as cores quando a luz do objeto é captada pela retina que, depois, vai para o córtex visual – parte do cérebro que pega as informações que o olho enxerga e transforma em formas e cores. Ou seja, é só uma questão de percepção de cor", finaliza. Colaborou Anna Kellen Bull.


App Google Notícias / Tevh Tudo

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.