Propaganda

Últimas Notícias

Aníbal Veras: mais de seis décadas de amor ao rádio



Eram 11h30 da manhã do dia 17 de outubro de 1952. Próximo à Praça da Bandeira, um prédio havia sido erguido com uma finalidade nobre: interligar Limoeiro com o mundo. A população agitava-se com tão inusitada novidade, e o empresário F. Pessoa de Queiroz inaugurava a Rádio Difusora de Limoeiro. O proprietário da emissora (atual Rádio Jornal) estava acompanhado de populares e algumas autoridades. Entre elas, o Coronel Francisco Heráclio do Rego (Chico Heráclio) e o professor Antônio de Souza Vilaça. Na parte técnica estava Aníbal Veras, um comunicador inesquecível que faria muito sucesso nas décadas vindouras. Lá se foram 65 anos. Aníbal, hoje aposentado, não perdeu o amor pelo rádio. Pelo contrário, ainda atua como radioamador prefixo PY7 BRA Classe A. O comunicador tornou-se a memória viva da radiofonia limoeirense e foi, também, instrutor de outros profissionais que ganharam fama no rádio pernambucano.

Aníbal idealizou dois grandes programas de sucesso pela Difusora: Praça da Saudade e Colombo Social. O primeiro durou 32 anos no ar. A Praça da Saudade teve, durante anos, uma audiência espetacular, onde, com seu “boa noite”, o apresentador saudava em versos as cidades de Bezerros, Carpina, Gravatá, Limoeiro, Passira, Paudalho, Taquaritinga do Norte, Vicência. O programa iniciou gravado e, depois, seguiu ao vivo com interpretações de grandes sucessos brasileiros pelos músicos limoeirenses - incluindo Aníbal – Gerson Batista e Adalberto Moreira. Aníbal era uma espécie de “show man” que alegrava as noites de muitos pernambucanos.Em setembro de 1979, quando o programa completou 21 anos no ar, a rádio contratou o cantor Nelson Gonçalves, um dos nomes mais famosos do momento, para fazer um show no Colombo Sport Club. Tudo foi transmitido ao vivo. A data ficou marcada na memória dos limoeirenses.

O comunicador – Em reconhecimento a seu profissionalismo, a Câmara de Vereadores de Limoeiro aprovou a concessão da Medalha de Honra ao Mérito a Aníbal Veras. A entrega da comenda ainda não tem data marcada. Aníbal também recebeu a Placa de Bronze da Casa do Radiamador de Pernambuco e a Medalha de Honra ao Mérito da Fundação Joaquim Nabuco de Pesquisa Social, reconhecimento do governador Moura Cavalcanti e do sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre. Ambas as comendas deveu-se à sua atuação durante a enchente do Rio Capibaribe no ano de 1975. O comunicador foi tema de peças literárias a exemplo do poema “O pássaro da Praça”, do Dr. José Barbosa de Souza; o frevo “Aníbal Veras”, de Alonso Costa e as crônicas “O apologista da saudade”, de Ivaldo Carvalho e “Praça da Saudade”, de Antônio de Souza Vilaça. 

Postado originalmente no Blog Quebra Regras do escritor Sivaldo Venerando em: http://blogquebraregras.blogspot.com.br/2016/02/anibal-veras-mais-de-seis-decadas-de.html

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.