Propaganda

Últimas Notícias

Via Sacra em Limoeiro reúne fiéis e relembra passos de Jesus



Foi em 1979 que tudo começou e 16 moradores da Rua Frei Estêvão, em Limoeiro, Agreste pernambucano, resolveram subir ao Morro do Redentor, ponto mais alto do município, na Sexta-Feira Santa. Essa caminhada teve inicio às 4 horas da madrugada e fazia parte do rito da Via Sacra. O trajeto era dividido em 15 estações, estações estas que a Igreja Católica relembra e medita sobre a agonia pela qual Jesus Cristo passou até ser crucificado e morto. E, no final das contas, celebra o acontecimento que dá sentido à sua tradição: a ressurreição. A caminhada foi crescendo e hoje, 38 anos depois, reúne muitos  limoeirenses. Tendo em vista acrescente demanda deste evento criou-se a Via Sacra da Matriz de São Sebastião que faz o percurso pelo outro extremo da Via Cruz. A da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação tem a subida da Frei estevam como ponto de sacrifício, já os fieis da Matriz de São Sebastião tem como seu sacrifício a subida de Zé da Lona.  

Há quem diga que ambas são muito parecidas em suas dificuldades, mas a de Zé da Lona se supera devido por não ter calçamento e sempre ser de muita lama, mas nem com esses detalhes os fieis deixam de comungar deste momento de suma importância para os católicos de todo o mundo. Ambas caminhadas chegam a durar aproximadamente duas horas e contam com seu longo trajeto, onde são encontradas 15 cruzes, uma para cada estação da Via Sacra. Durante a procissão, através de músicas e orações, os fiéis relacionam as dificuldades enfrentadas por Jesus às injustiças sociais. 

As velas acessam dava o tom de todo sofrimento de Cristo e em cada estação muitas delas eram deixadas para que todos pudessem saber que por ali passou e sofreu o rei dos Judeus. No ensejo das caminhadas os párocos relembram o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, “Cultivar e guardar a criação”, que aborda cada um dos seis biomas brasileiros, suas características e significados, desafios e as principais iniciativas já existentes na defesa da biodiversidade e da cultura dos povos originários. Ao final da celebração, muitos fieis voltam pela Escadaria do Redentor que é um ponto turístico de Limoeiro, enquanto outros preferem não se arriscar e voltam pelas ladeiras da Frei Estevão e Zé da Lona.

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.