sábado, 6 de agosto de 2016

Maratonista Vanderlei Cordeiro é celebrado em abertura espetacular das Olimpíadas Rio 2016



Aquele abraço, de Gilberto Gil, a canção do exílio, invadiu o Maracanã. Foi uma declaração pujante, logo de entrada, de que a voz da cerimônia de abertura dos Jogos do Rio seria a do povo brasileiro e suas criações, sua música revolucionária e sua arte, e não a do poder político, tão controverso como o presidente interino do Brasil, Michel Temer, sempre em segundo plano e receoso de uma vaia da arquibancada, que espera o desfecho do impeachment de Dilma Roussef, a grande ausente do palco olímpico. Foi uma forma valente de marcar, com personalidade e firmeza, o caminho de mudança para Tomas Bach, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), que lida com a crise do caso de doping russo e com sua quase inevitável tendência de buscar o lucro dos Jogos às custas de países em grave crise, como o Brasil. Bach está à beira de um precipício o qual só pode saltar se transformando e reconhecendo a voz do povo que o guie. Apesar de toda a intenção de ruptura da jornada, o tédio final foi inevitável pela complicada tarefa de integrar o interminável desfile de esportistas em uma ação criativa que durou mais de três horas.

A simbologia temerária inicial, com a visão tenebrosa do Cristo Redentor banhado de verde e amarelo, as cores da bandeira da Ordem e do Progresso, foi rapidamente suplantada por um espetáculo íntimo, ainda que celebrado em um palco gigantesco, o Maracanã, o estádio do drama da Copa do Mundo de 1950. O espetáculo, capaz de converter o hino do Brasil quase em uma canção de protesto interpretada na voz íntima de Paulinho da Viola, um pequeno deus do violão, afastou dos Jogos o tradicional tom triunfalista, de loucura festiva sem sentido ao estilo do Eurovisión. Consequentes com a suave e curta montagem de entrada, uma celebração do melhor que o Brasil deu ao mundo, a música nascida sempre das classes populares, o desfile das nações participantes lideradas por seu melhor esportista porta-bandeira se livrou de tudo que poderia aproximá-lo dos habituais simulacros de desfiles militares para transformar o Maracanã em um sambódromo pelo qual os atletas passeavam como grupos de amigos no Carnaval, fantasiados com seus uniformes, dançando, alterando as filas e a ordem. Levavam uma semente de árvore, de 207 espécies diferentes, tantas quanto os países participantes, que depois serão transplantadas a um parque. Guiando-os em triciclos estavam voluntários, cinco deles mulheres transsexuais, outro gesto pela igualdade e a inclusão. Entre elas se destacou a modelo Leia T, filha do ex-jogador Toninho Cerezo. As folhas de pau brasil, a árvore de onde os portugueses extraíam a tinta vermelha que deu nome ao país, substituíram, simples, naturais, as extravagâncias do poderio tecnológico que guiou outras cerimônias.

Antes deles desfilou a musa Gisele Bündchen, ao som da Garota de Ipanema que Daniel Jobim, o neto de Tom Jobim, lhe tocava ao piano: as curvas da Bossa Nova sobre as curvas da arquitetura de Oscar Niemeyer. Em 2012, na cerimônia de abertura dos Jogos de Londres, o Reino Unido mostrou seu orgulho e sua história imperial partindo de sua grande contribuição à história, a revolução industrial que abriu passo ao capitalismo. No Rio, o diretor e ideólogo do espetáculo, o diretor Fernando Meirelles do magnífico Cidade de Deus, contou a história do Brasil: os povos indígenas e suas selvas insondáveis, a descoberta e conquista portuguesas, o uso dos bosques e sua destruição, a exploração escravocrata de quatro séculos, a revolução urbana, a necessidade de regressar à floresta e reconstruir a selva amazônica para sobreviver, tudo através de suas músicas populares, da Bossa Nova sensual, da Construção mais geométrica de Chico Buarque, o passinho, a voz das favelas, o samba de Elza Soares, o rap de Karol Conka, o maracatu de Pernambuco, para confluir todos no País Tropical cantado por Jorge Ben Jor. Cambaleante, decolou e saiu pelo teto do estádio o 14 Bis de Santos Dumont, o inventor da aviação mundial faz 110 anos.

Vanderlei Cordeiro de Lima acende a pira: "Espero que a cerimônia seja um remédio para a depressão de meu país", disse Meirelles. "Outros falaram deles, do que fizeram pelo mundo. O Brasil quis falar do futuro, do que todos juntos podemos fazer pelo planeta". E para reforçar a mensagem, o final da festa foi uma visão poética da necessidade da ecologia, uma poesia, A flor e a náusea, de Carlos Drummond de Andrade, recitada em português e inglês pelas atrizes Fernanda Montenegro e Judi Dench, tremendas e profundas acompanhadas de imagens de um simulacro de como a água sepultará Amsterdã, a Flórida, as ilhas Maldivas, se não o aquecimento global não for detido. Mais de 3 bilhões de pessoas, disseram os organizadores, viram tudo pela televisão em todo o mundo.

A festa acabou com a poesia e a transcendência da microbiologia como religião de futuro, antes que viessem os russos mal-amados, os admirados refugiados, o ceremonial, os discursos, as vaias a Temer ao declarar abertos os Jogos e os rituais da bandeira olímpica, o juramento olímpico, a pomba da paz e a chama roubada por Prometeu que chegou às mãos de Vanderlei Cordeiro de Lima, o maratonista brasileiro atacado por um clérigo louco quando estava prestes a se proclamar campeão olímpico em Atenas. Cordeiro encontrou consolo da glória roubada, 12 anos mais tarde, portando a tocha pela escada até à pia onde brilhará, purificadora, nos próximos 17 dias no Rio, pairando sobre os melhores esportistas, os mais motivados, os entregues a um sonho, como ele foi.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar



Boas Festas!

Siga-nos por E-mail

Blog afiliado AblogPE



Este blog é afiliado a AblogPE

Este Blog é livre de CO²

ecologicamente correto

Tradutor

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified

Campanha LBV

Eu ajudo a mudar!

Nosso QR Código


Baixe um aplicativo de leitor QR Code e aponte seu celular nesta imagem para levar o COISAS DA VIDA sempre com você

Em Cartaz

Nosso Picasa

Noticias de Limoeiro e Região

Seguidores

Seguir nas Redes Siciais

Total de visualizações de página

Page Rank

PageRank


Arquivos do Blog

Anuncie Aqui

Oficina do Gordo da Bicicleta!
-----------------------------------------
Galpão das Artes
-----------------------------------------
Evolution Net!
-----------------------------------------
Horta Fruta
-----------------------------------------
Queiroz e Silva Consultoria Contável
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!
-----------------------------------------
Anuncie Aqui!

Postagens populares

Classificação recomendada

 Classificação indicativa 14 anos
Este Blog tem a classificação etária de 14 anos por conter em seu conteúdo alguma informação impropria para menores de 14. Nossa equipe não se responsabiliza por eventuais uso das noticias aqui veiculadas pelos menores.

Teste sua conexão

Que tal testar sua conexão de internet? Será que estão lhe oferecendo mesmo o pacote contratado? Faça o teste e descubra o resultado