Propaganda

Últimas Notícias

Dieta seca gordura


Sem tirar pães e massas do cardápio, você consegue perder até 2 quilos em uma semana — acredite, o resultado aparece principalmente na barriga e na cintura. O segredo é combinar esses alimentos com porções generosas de proteína magra e gordura boa

Por Eliane Contreras Fotos Mari Queiroz

O segredo desta dieta, elaborada e testada pelo consultor em nutrição Alfredo Galebe, de São Paulo (SP), é combinar carboidrato, proteína e gordura em todas as refeições (do café da manhã ao jantar) para manter o equilíbrio hormonal e manter a queima de gordura constante. “Consumidas em proporções ideais, a proteína e a gordura retardam o índice glicêmico do carboidrato – ele demora mais para ser transformado em açúcar na corrente sanguínea e a produção de insulina é mantida em equilíbrio”, explica a nutricionista Beatriz Passos, que trabalha em parceria com Alfredo. Quando é produzida em excesso, a insulina faz com que o corpo retenha mais gordura. E aí já viu: o ponteiro da balança é empurrado lá pra cima.

A proporção recomendada é a seguinte: 9 gramas de carboidrato (1 C) para cada 7 gramas de proteína (1 P) e 1,5 de gordura (1 G). Juntos, e nessas proporções, os três nutrientes (1 C + 1 P + 1 G) formam um bloco. Dependendo da refeição, seu prato deve ter um, dois ou três blocos. Complicado? Alfredo bolou algumas tabelas (veja nas próximas páginas) para que você acerte em cheio. Não se preocupe em contar calorias – aliás, esqueça! O resultado – derreter até 2 quilos em uma semana – depende só de você. E o melhor: as gordurinhas da cintura e da barriga são as primeiras a desaparecer.

Deise Coelho, responsável pelo atendimento às leitoras de BOA FORMA e personagem da reportagem de janeiro, comprovou o resultado da combinação certa dos alimentos. “Precisava perder os pneuzinhos para que os músculos conquistados com a musculação saltassem. E esse regime funcionou”, comemora. Pouco tempo depois de seguir a dieta seca gordura, a decoradora paulistana Renata Florenzano também viu a barriga ficar lisinha. “A vantagem é que também aprendi a selecionar os carboidratos saudáveis, as proteínas magras e as gorduras boas”, conta Renata.

Essa é outra regra importante: proteína e gordura consideradas ruins, como manteiga e carnes gordas, ficam de fora. Você dá preferência à carne magra, frango e peixe, alimentos com menos gordura saturada (associada a doenças cardiovasculares e a alguns tipos de câncer). Os peixes contam com um benefício extra: o ácido graxo ômega 3, que ajuda a prevenir infarto e derrame. Ou seja, você seca as gordurinhas e ao mesmo tempo investe numa saúde invejável. Portanto, vale também privilegiar pães e massas integrais (carboidratos acompanhados de fibras) e o azeite de oliva, a amêndoa e o abacate (fontes de gordura do bem). E, se está acostumada a matar a sede com refrigerante e chá pronto (light ou não), fique longe deles nas duas primeiras semanas: tome água sem gás e modere no suco de fruta. Nesse período, abandone também doce, chocolate e salgadinho. “Eles estão na lista dos alimentos com índice glicêmico muito alto, que geram picos de insulina”, diz Galebe. Deise e Renata garantem: fome, você não vai passar!
Truques antigordura
Quando for comer uma batata assada, acrescente um recheio de frango e requeijão light. Apesar do número de calorias aumentar, o frango (proteína) e o requeijão (gordura) vão retardar a transformação da batata (carboidrato) em açúcar na corrente sanguínea, mantendo a produção de insulina equilibrada. Caso não dê para resistir ao chocolate, volte a comê-lo de maneira moderada. E prefira aqueles acompanhados de amêndoas, que diminuem o índice glicêmico do chocolate. Outra combinação do bem: presunto magro ou amêndoa com melão. As frutas são consideradas carboidrato e, por isso, aumentam drasticamente a quantidade de açúcar no sangue. O peito de peru (proteína) e a amêndoa (gordura) desaceleram esse processo. Bebidas alcoólicas têm alto índice glicêmico. Além de substituir o açúcar por adoçante, nos coquetéis e na caipirinha, procure consumi-los acompanhados de alimentos protéicos, como carpaccio e rosbife.
Você pode criar a sua dieta
Monte seu cardápio com 9 blocos por dia, distribuídos da seguinte forma:
café da manhã: 2 C + 2 P + 2 G (2 blocos);
lanche da manhã: 1 C + 1 P + 1 G (1 bloco);
almoço: 3 C + 3 P + 3 G (3 blocos);
lanche da tarde: 1 C + 1 P + 1 G (1 bloco);
jantar: 2 C + 2 P + 2 G (2 blocos);
e antes de dormir: 2 G (aqui, a gordura deve ser ingerida sozinha e não conta como bloco).

Foto: Alfredo Franco. Produção: Flávia Rivetti.
Fonte: Boa Forma
Leia a revista boa forma e sinta-se melhor!

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.