Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

USP tem 400 vagas para formação gratuita de professores


Em parceria com o Instituto iungo, as vagas são para cursos de atualização de professores e gestores escolares de todo o Brasil
 
Até o dia 22 de maio estão abertas as inscrições para os quatro cursos Repensando o Currículo, nas áreas de Linguagens, Ciências, Humanidades e Projetos de Vida. É a quarta edição da formação para professores e gestores escolares, fruto da parceria entre a Faculdade de Educação da USP, o Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas da universidade (NAP-USP) e o Instituto iungo.
 
Os quatro cursos on-line têm carga horária de 120 horas e são oferecidos simultaneamente para 100 educadores cada, totalizando 400 vagas. Podem se inscrever docentes e gestores escolares dos Anos Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de escolas de todo o país. Para os cursos de Humanidades, Ciências e Linguagens é preciso ser professor destes campos específicos de conhecimento. Já para o curso sobre Projetos de vida, podem participar professores de todas as áreas de conhecimento ou mesmo coordenadores, diretores e outros profissionais da área acadêmica da escola.
 
Já foram oferecidas 1.200 vagas nas três primeiras edições, para educadores de todas as regiões do país. O modelo das formações, conciliando teoria e prática com uma mentoria próxima, permite essa escala ampliada. "Visando articular qualidade com inclusão, o desenho pedagógico do programa permite o acesso de centenas de professores a conteúdos produzidos por docentes da USP, ao mesmo tempo que um tutor atende seis pessoas de cada vez, no desenvolvimento de projetos em sala de aulas dos professores. Ele orienta os projetos de acordo com a realidade de cada cursista, promovendo interações entre professores que enfrentam situações semelhantes. Esse modelo é a chave para a qualidade dos cursos", explica Ulisses Araújo, coordenador do NAP-USP.
 
Rayane Delmondes é professora de ciências e biologia em Manaus (AM). Participou da primeira turma do Repensando o Currículo e conta que "o curso tem uma abordagem diferente de um curso tradicional. Resulta em aprendizagem significativa e principalmente em reflexão sobre o que é ser professor. Ajuda a compreender ciências enquanto construção de conhecimento e não apenas como disciplina na escola".
 
A professora Genilda dos Santos Araújo, de Santo André (SP), se formou no curso de Humanidades. "Participar do curso Repensando o Currículo foi extremamente importante para a minha formação pessoal e atuação como educadora. As bibliografias propostas, o formato do curso e a mediação do tutor propiciaram reflexões de temas urgentes e caros à nossa sociedade. Ampliei minha compreensão acerca de alguns conceitos, abrindo possibilidades de trabalhar as relações étnico-raciais na educação, de forma a valorizar a diversidade dos estudantes", conta Genilda.
 
Paulo Andrade, diretor do iungo, conta que o modelo de formação online foi uma solução para o momento de ensino remoto, mas que se provou muito interessante. "Ficamos muito felizes com o relato dos professores que fizeram o curso. Sabemos que esse tipo de iniciativa é, para muitos educadores de diferentes lugares do país, uma oportunidade única de estudar na USP e de trocar experiências com colegas de outras realidades, mas com desafios em comum", explica Paulo.
 
As aulas da quarta edição do “Repensando o Currículo” começam em 21/06, com emissão de certificado pela USP para os concluintes. Para obter mais informações, ler o edital e realizar as inscrições, os interessados devem acessar www.repensandocurriculo.org.
 
Sobre o Instituto iungo
O Instituto iungo foi criado com uma visão de educação: uma escola em que os estudantes se desenvolvem integralmente e podem construir seus projetos de vida. Para o iungo, o professor é a base da educação e o principal agente dessa transformação da escola. Por isso, o instituto oferece formação continuada para educadores em diferentes formatos, produz material pedagógico para apoiá-los no dia a dia e realiza pesquisas para ouvir os professores do Brasil. Para trazer um impacto relevante para a educação do país, o Instituto trabalha em parceria com secretarias da educação, universidades e outras organizações do terceiro setor. Em dois anos de atuação, o iungo firmou parcerias com 12 redes estaduais de ensino e impactou diretamente mais de 180 mil educadores com ações de formação.
 
Sobre o NAP-USP
O Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas (NAP) da Universidade de São Paulo se dedica a promover estudos, pesquisas e ações de intervenção que levem à reinvenção da educação e dos processos pedagógicos inerentes às relações de ensino e de aprendizagem, em todos os níveis e modalidades.

Na foto - Paulo Andrade, diretor do Instituto iungo

Postar um comentário

0 Comentários