Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Defesa dos direitos de mulheres e de pessoas trans são temas de curtas-metragens lançados pela ESA-PE nesta quinta, 16/12



São os primeiros curtas-metragens produzidos pela ESA-PE e estreia acontece nesta quinta-feira (16), às 17h, em sessão única na sede da OAB-PE, aberta ao público

A defesa dos direitos das mulheres e das pessoas trans são os temas dos primeiros curtas-metragens contra a discriminação produzidos pela Escola Superior de Advocacia de Pernambuco (ESA-PE), da OAB Pernambuco. “Identidade, o direito à vida transvesti” e “Mulher, Força Motriz” serão lançados nesta quinta-feira (16/12), às 17h, na sede da OAB Pernambuco (rua do Imperador, 346, Santo Antônio, Recife). A estreia acontece em sessão única, no Auditório Fernando Santa Cruz, e será aberta ao público.

Os dois filmes foram gravados em cidades da Região Metropolitana do Recife – na capital, em Itamaracá, Jaboatão dos Guararapes e Olinda. “Identidade, o direito à vida transvesti” foi um projeto coordenado pela diretora-tesoureira da ESA-PE, a advogada Renata Berenguer, e pelo presidente da Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero da OAB Pernambuco, o advogado Sérgio Pessoa. Já o doc “Mulher, Força Motriz" foi coordenado pela Comissão da Mulher Advogada da OAB-PE, por meio da advogada Daniela Mello, que é a autora do argumento que baseia a produção, e por Renata Berenguer. A direção dos dois curtas-metragens é da jornalista Silvia Bessa.

As produções contam com a participação especial da codeputada estadual e advogada Robeyoncé Lima, da vereadora, advogada e poetisa Cida Pedrosa e das promotoras Bianca Stella Barroso e Dalva Cabral.

 “Mulher, Força Motriz” é uma série de três episódios de curtas-metragens que contam a história de três mulheres, apresentando suas dificuldades e superações, partindo de três eixos estruturantes: resiliência, criatividade e articulação social. “Identidade - O direito à vida transvesti” é um curta-metragem que narra a vida real de pessoas transexuais ou travestis, a discriminação que sofrem e suas lutas para o acesso a direitos básicos e para se tornarem visíveis socialmente. Com um olhar sobre a violência, o mercado de trabalho e a família, esta produção tem duração de 30 minutos.

Os dois curtas adotam o perfil documental e retratam as barreiras enfrentadas no cotidiano por mulheres e pessoas trans no acesso a direitos constitucionais básicos e ambos giram em torno de temáticas sociais e reafirmam o compromisso da escola de promover igualdade e contribuir com a conscientização das pessoas para pautas sociais.

Para a diretora da ESA-PE, os documentários têm objetivos sociais. “As produções possuem a finalidade de incluir, promover um debate social com olhar crítico e ampliar a conscientização da população sobre problemas enfrentados pelas mulheres e pessoas trans, fazendo um alerta para seus direitos e deveres para a busca de uma equidade cidadã”, diz. “Esperamos que esses documentários se tornem instrumentos importantes  de transformação social, de pesquisa e referência educacional para aulas tanto da própria ESA quanto de parceiros, governamentais ou privados”, completa.

Serviço

O que: Lançamento dos dois primeiros curtas da ESA-PE

Quando: 16 de Dezembro de 2021, às 17h.

Local: Sede da OAB-PE - Rua Imperador Pedro II, 346 - Santo Antônio, Recife, no Auditório Fernando Santa Cruz.

Postar um comentário

0 Comentários