Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

50 anos da COMPESA marcados por grandes obras e investimentos



O ano de celebração dos 50 anos da Compesa, comemorado hoje (29 de julho), marca o ritmo acelerado de grandes obras e um volume de investimentos expressivo para ampliar a oferta de água e aumentar os índices de cobertura de esgotamento sanitário em todo o estado. Para 2021, a previsão é recursos da ordem de 1,2 bilhão aplicados pelo Governo do Estado, por meio da Companhia, com vistas à universalização dos serviços. “Pernambuco é um dos estados que mais realiza investimentos em obras de abastecimento e esgotamento sanitário, com a execução de grandes empreendimentos estruturadores. Mesmo diante da escassez hídrica do estado, a exemplo do Agreste, que detém o menor balanço hídrico do país, o Governo de Pernambuco e a Compesa tem reunido esforços para elaborar projetos, captar recursos e investir”, diz a presidente da Compesa, Manuela Marinho.

Dentre os investimentos está o maior sistema integrado de abastecimento de água do Brasil, a Adutora do Agreste, que vai captar água das barragens abastecidas pela Transposição do Rio São Francisco para atender 23 cidades na sua primeira etapa. O empreendimento vai beneficiar e melhorar a qualidade de vida de mais de um milhão de pessoas da região.  Outro grande investimento em curso é a Adutora de Serro Azul, que transportará água da Mata Sul para cidades do Agreste, além da construção da Adutora do Alto Capibaribe, que será alimentada por águas da transposição para o Rio Paraíba, no município paraibano de Barra de São Miguel, beneficiando nove cidades de Pernambuco e uma no estado vizinho. Também em execução a obra do Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga, que recentemente entrou em fase de testes e representa esperança para muitas famílias no interior. Outro projeto de destaque em curso é a implantação do novo dessalinizador da ilha de Fernando de Noronha, que integra um pacote de investimentos de R$ 22 milhões previstos pelo Governo do Estado para beneficiar moradores e turistas que visitam o arquipélago.

Na RMR também há investimentos robustos em execução para ampliar a oferta de água para a população. Somente este ano, mais de 1 milhão de pessoas foram retiradas do rodízio mais rígido de abastecimento, a partir de obras de curto e médio prazo de infraestrutura hídrica para ampliar a oferta na região. “No início desse ano, a Compesa planejou investimentos imediatos de cerca de R$ 20 milhões em ações para trazer mais segurança hídrica aos sistemas. Pelo plano, a prioridade tem sido a reativação e perfuração de mais de 30 poços na RMR, que representam novas captações, incremento de produção e melhoria da distribuição da água”, pontua a presidente. Outro destaque é o investimento de R$ 80 milhões na Adutora Itapirema/Arataca e ainda a construção da Barragem Engenho Maranhão, estimada em R$ 320 milhões.

No tocante à área de esgotamento sanitário, a Compesa executa uma das maiores PPP’s do país. Na RMR, o Programa Cidade Saneada contabiliza cinco novos sistemas de esgotamento implantados em São Lourenço da Mata, Recife, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca e outras 11 obras em andamento. “O Cidade Saneada chegou ao seu oitavo ano de execução já tendo investido R$ 1,7 bilhão e registrando a taxa de cobertura de 40% na RMR. Trabalhamos com uma meta arrojada para garantir o índice de cobertura de 90% em 2037, beneficiando mais de seis milhões de pessoas com investimentos de R$ 6,7 bilhões”, destaca Marinho. No interior do Estado a Companhia também segue promovendo investimentos consistentes para elevar a taxa de cobertura de esgotamento sanitário, por meio da implantação de sistemas de esgotamento nas cidades às margens dos rios Ipojuca e Capibaribe.

A Compesa segue avançando rumo à universalização do saneamento e inovando no setor. Um dos investimentos mais representativos desse novo ciclo é a autoprodução de energia da Companhia, a partir da contratação de uma nova PPP para instalação de uma usina solar com capacidade de 135 MW. O projeto está inserido no pacote de investimentos da ordem de R$ 600 milhões da Compesa, previsto para os próximos três anos, para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para otimizar e reduzir custos com energia.

Na mesma direção, a Companhia investe também em tecnologia para o monitoramento da qualidade da água, dispondo de um laboratório modelo de análises, e no controle e monitoramento das operações de abastecimento, com um novo Laboratório de Eletrônica e Automação que tem capacidade para produzir dispositivos de alta desempenho para monitorar o fornecimento de água para a população. As grandes parcerias também são um marco da gestão da Compesa, a exemplo do convênio recém firmado de R$ 4 milhões para elaboração de estudos com inovação tecnológica no abastecimento de água das áreas de morros da Zona Norte do Recife. O convênio foi firmado entre o Governo de Pernambuco, por meio da Seinfra e Compesa, e a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento, da UFPE. “Os desafios dos próximos 50 anos estão postos e começam a ser escritos agora. E estamos preparados para eles”, finaliza a presidente da Compesa, Manuela Marinho.

Postar um comentário

0 Comentários