Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

CAAPE cria rede de apoio para advogadas e estagiárias vítimas de violência doméstica



A Caixa de Assistência dos Advogados de Pernambuco (CAAPE), entidade assistencial da OAB Pernambuco, preocupada com o aumento do número de denúncias de violência doméstica contra mulheres durante o período da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), criou a Rede de Apoio CAAPE para advogadas e estagiárias inscritas na OAB-PE. O auxílio consiste em atendimento psicológico, assessoramento jurídico e hospedagem, para que a vítima possa ter segurança física e mental para enfrentar esse momento de violência, dor e sofrimento. O lançamento do projeto será nesta quarta-feira (05), às 17h, no YouTube da OAB Pernambuco, TV OAB-PE (www.youtube.com/oabpernambuco), com o presidente da CAAPE, Fernando Ribeiro Lins, a vice-presidente, Patrícia Maaze, e a presidente da Comissão da Mulher Advogada (CMA) da OAB Pernambuco, Fabiana Leite. 

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a cada ano cerca de 1,3 milhões de mulheres são agredidas no Brasil e, desse total, 52,5% fazem parte da população economicamente ativa, ou seja, que compõem o mercado de trabalho. Em 43,1% dos casos, a violência acontece dentro de casa, além de 36,7% em vias públicas. 

Atenta a esses dados e ciente de que 49% do quadro da OAB Pernambuco é composto pelo sexo feminino, a CAAPE desenvolveu uma rede de apoio para que todas possam se  resguardar, repelir os maus tratos sofridos e se reposicionar socialmente e profissionalmente. “Esse projeto é muito importante para que as advogadas e estagiárias que sofrem violências domésticas saibam que não estão sozinhas. Esperamos que esse apoio psicológico, jurídico e social ajude e mude essa realidade que infelizmente ainda existe”, destaca o presidente da CAAPE, Fernando Ribeiro Lins.

A vice-presidente da CAAPE, Patrícia Maaze, alerta que a primeira medida é compreender que a vítima nunca será a culpada e é preciso que sejam implementadas políticas públicas que favoreçam a denúncia do abusador. O Ipea registra que apenas 22,1% recorrem à polícia para denunciar e expor a violência que estão enfrentando. “Nem todas as mulheres contam com apoio para se defrontar com o flagelo da violência doméstica, por isso estaremos juntas atacando esse mal social tão devastador. Nós planejamos a Rede de Apoio CAAPE com cuidado e respeito, objetivando resguardar advogadas e estagiárias, com a oferta de assistência digna e completa para todas que acometidas pelas agressões de seus parceiros e familiares, sintam-se acolhidas por nós que compomos a CAAPE”, ressalta. 

Para ter mais informações sobre a rede de apoio, saber como solicitar o auxílio e quais os documentos necessários, confira a resolução disponível no site da CAAPE, na aba “benefícios” (https://www.caape.org.br/beneficios).

Postar um comentário

0 Comentários