A Apple conseguiu na última terça-feira (19) a patente de um “dispositivo eletrônico transparente”. Solicitada em 2017, a patente descreve um “método e sistema para mostrar imagens na tela transparente de um dispositivo eletrônico”. Segundo o documento, o dispositivo pode incluir “uma ou mais telas e circuito flexível para conectar as telas com os circuitos internos do aparelho. Além disso, as telas podem permitir a sobreposição de imagens sobre objetos do mundo real, bem como a exibição de uma janela transparente em uma tela opaca”. As imagens que acompanham a patente incluem um fluxograma do processo de geração de imagens, além de uma ilustração de um dispositivo que se parece com os atuais iPads.

Embora soe futurista, telas transparentes já são realidade. Em 2016 a Panasonic apresentou durante a CES, uma das maiores feiras de eletrônicos no mundo, a “casa de 2020”. Entre os itens estava uma TV transparente montada em um armário, que quando desativada parecia um painel de vidro comum. A tecnologia também é usada há alguns anos em máquinas de venda de produtos e bebidas, que podem mostrar animações para atrair os consumidores sem ocultar os itens à venda nas prateleiras. Vale lembrar que a Apple patenteia ideias o tempo todo, e um registro não é prova de que um produto usando a tecnologia patenteada está em desenvolvimento. Um exemplo é uma patente de 2015 que descreve um smartphone dobrável, tecnologia que já foi abraçada por concorrentes como a Samsung e Motorola, mas não pela Apple.


Olhar Digital