Propaganda

Últimas Notícias

Ciranda de São João [Cultura Nordestina}


Você pode aproveitar uma boa Ciranda nos festejos juninos em qualquer lugar Nordeste a fora... É dança típica brasileira, com maior manifestação no Nordeste, especialmente no litoral. Tem origem secular. É mescla de culturas milenares: ameríndia, africana e europeia. Traz a dança junto com o canto. Sua característica essencial é que pratica-se unicamente em grupo que estará de mãos dadas em forma circular em cadenciado ritmo marcado por instrumento percussivo, geralmente tambor acompanhado de tarol- instrumento este mais recente, moderno. Raro é o participante de “roda de ciranda” que em algum momento gratificante não solte um sorriso, talvez dada simplicidade dos passos, da dança, também simplicidade da melodia que tem pouca variação: contagiante.

Mas se simples, não pobre, a Ciranda traz clara estrutura ancestral milenar, impregnada de primitivismo de civilizações que se mesclaram e formaram a Brasileira. Do círculo que se forma numa ciranda, só não entra quem não quer. É manifestação de fortíssimo cunho de identidade cultural das gentes que a vivenciam, haja visto ser praticada há alguns séculos. Sua música traz em letra situações cotidianas da gente que a esculta, que a dança... serve, assim como o Coco de Roda, como crônicas da coletividade que a desenvolve. Da dança circular, provavelmente não há parte do Globo Terrestre em que o ser humano não a faça, especialmente nas formas culturais datadas de forte milenaridade.

Na área política-geográfica Pernambucana tida por Zona da Mata, vê-se a magnitude de poetas cirandeiros como José Galdino e João Limoeiro- mestres amadurecidos que impressionam até ao mais leigo e desinteressado observador. Mas dezenas e dezenas são aqueles e aquelas que fazem a ciranda ser para o público um motivo de felicidade. Destes está Belo Cirandeiro (foto-2010), Limoeirense de que não há festejos juninos que possa lhe ignorar. Se você nunca dançou ciranda, falta-lhe uma boa parte de alegria, confraternização com sua coletividade, com sua estação chuvosa que surge, com alimento milenar básico que está em colheita – o milho, falta-lhe um pouco mais de Pernambuco, de Nordeste, de Brasil.

Por: Walter Eudes

Nenhum comentário

Para comentar neste Blog você deve ter consciência de seus atos, pois tudo que aqui é postado fica registrado em nossos registros. Tenha em mente que seu respeito começa quando você respeita o próximo. Lembre-se que ao entrar aqui você estará em um ambiente bem descontraído e por isso contribua para que ele sempre fique assim. Não esqueça que os comentários são moderados e só iram ao ar depois de uma analise e se passarem por ela iremos publicar, caso não ele será deletado. Para os novos comentários via Disqus ou Facebook a moderação não se faz necesária, já que o nome do usuário fica salvo nos comentários.
Obrigado pela visita e volte sempre.