Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Ramo de Serviços em TI é vice-líder nas exportações mundiais do setor

 

Relatório da Assespro-PR indica que são mais 500 bilhões movimentados por ano e o ramo tem na China o maior crescimento em exportação da década

Os Serviços em Tecnologia da Informação (TI) movimentaram mundialmente em 2020, em termos de exportações, cerca de 571 bilhões de dólares, o segundo ramo de serviços exportados, representando 12% do total mundial. É o que informa o Insight Reports da Assespro-PR (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação) do mês de abril, com base em informações coletadas junto à Organização Mundial de Comércio (OMC). O objetivo do relatório é mostrar o aquecimento do mercado de Serviços de TI e como algumas economias têm lucrado com ele, apresentando oportunidades às empresas brasileiras de enxergarem movimentos estratégicos e mercados em expansão. A dinâmica do comércio internacional de Serviços em TI é baseada em alguns países que concentram cerca de dois terços das exportações e das importações mundiais, ocasionando um cenário de intensa e longa terceirização destes serviços por empresas gigantes, oriundas dos Estados Unidos, Europa e Japão, que buscam pessoal qualificado em TI a partir de outsourcing em países com custos relativos mais baixos.

Assim, a Irlanda segue como principal exportador de Serviços em TI, com 27% do total mundial, seguida pela Índia, com 11%, e China, com 10%, só depois vem os Estados Unidos, com 7%. Nesse contexto, os países da América do Sul ocupam uma pequena fatia de mercado, com 0,9% do total de exportação mundial, tendo o Brasil correspondido a 0,4% do total, com um valor da ordem de 2,1 bilhões de dólares. Mesmo com um número baixo, o Brasil apresentou um crescimento de 4%, entre 2010 e 2020, com aproximadamente 100 milhões de dólares a mais de faturamento.

“O Brasil pode assumir um papel de maior destaque nesse mercado que movimenta tanto dinheiro. Temos mão de obra qualificada e empresas capacitadas para brigarem com as grandes mundiais. Basta ajustarmos as nossas estratégias e pararmos de achar que o Brasil já é grande o suficiente. Não é”, diz o presidente da Assespro-PR, Lucas Ribeiro.

Outro dado que chama muita a atenção é o crescimento chinês no período de 2010 a 2020. Vindo de um processo de abertura ao mercado mundial, já que a China por décadas se manteve fechada por conta de suas políticas de mercado, o gigante oriental teve na última década 533% de crescimento em exportações de Serviços em TI, batendo, em 2020, 58 bilhões de dólares em faturamento. O Insight Report salienta, como forma metodológica, que até a data de publicação do boletim não constavam nas bases os dados referentes aos valores totais transacionados pela China. Por isso, para chegar aos números estimados do país e fornecer um panorama mais completo, a estimativa foi realizada a partir da análise da série histórica, comparando o percentual dos serviços de informática (SI2), por meio da técnica de suavização exponencial, com os dados que já constavam na base da OMC, o valor agregado do total de exportações dos serviços do grupo “Serviços de telecomunicações, informática e informação” (SI).




Postar um comentário

0 Comentários