Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

COMPESA entrega mais um poço do sistema adutor de Tupanatinga




Com a conclusão de uma etapa importante de testes, a Compesa habilitou mais um poço do Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga que vai levar mais água ao Agreste. O novo equipamento tem 240 metros de profundidade e capacidade produtiva de 10 litros de água por segundo. Os serviços de perfuração, limpeza, desinfecção e desenvolvimento para produção de água foram finalizados em janeiro. Esse é o oitavo poço perfurado da bateria de 20 poços tubulares profundos com entrega programada até o final desse ano. Até o final do primeiro semestre serão 14 perfurados.

O investimento no projeto de perfuração dos poços é da ordem de R$ 12 milhões. Os poços serão distribuídos em três baterias, captando água do aquífero Tacaratu, que fica situado na Bacia Sedimentar de Jatobá, no município de Ibimirim, Sertão do Moxotó. A expectativa é captar uma vazão total de 200 l/s para atendimento de 180 mil pessoas nas cidades de Tupanatinga, Águas Belas, Itaíba, Iati e Buíque, localizadas no Agreste do estado. O Sistema Produtor dos Poços de Tupanatinga, um investimento total de R$ 53 milhões, é mais uma obra estruturadora pensada pelo Governo do Estado para dar funcionalidade às tubulações já assentadas da Adutora do Agreste.

O diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Flávio Figueiredo, explica que, além dos poços, outros serviços estão incluídos no projeto completo. “Além da perfuração dos poços, a obra contempla a implantação de cerca de 60 quilômetros de adutoras, seis estações elevatórias e dois reservatórios elevados que possibilitará transportar a água por gravidade. A adutora terá a função de interligar o Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga à Adutora do Agreste, sendo o ponto de interligação no município de Tupanatinga”, explica.

O empreendimento levará segurança hídrica aos municípios da região Agreste que sofrem com ciclos de seca severa e que, se não fosse o esforço do Governo de Pernambuco, ainda estariam sem previsão da chegada da água da transposição.

Postar um comentário

0 Comentários