Ultimas Notícias

8/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Uso excessivo de plataformas virtuais causa estresse e ansiedade




As aulas das crianças e as reuniões de trabalho passaram a ser de forma remota e o encontro com os amigos e familiares agora acontece pelas telas. A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) trouxe uma série de novos hábitos e alguns problemas a serem enfrentados: um deles está diretamente ligado ao uso excessivo das telas, que tem provocado cansaço físico e mental.

Uma reportagem da BBC Worklife trouxe o termo “Zoom fatigue”, que nada mais é que um estresse causado pelas reuniões virtuais, em sua maioria realizadas pela plataforma Zoom. O coordenador do setor de psicologia do Sistema Hapvida em Pernambuco, Carol Costa Júnior, explica que a linguagem corporal fala muito. Em casos de “Zoom Fatigue”, os indivíduos ficam impossibilitados dessa prática e isso acaba afetando a grande maioria do público. “O gasto excessivo de energia durante o dia com essas práticas acaba sendo um elemento significativo, apresentando cansaços ao fim do dia, dando uma sensação de energias esgotadas e corpos machucados”, esclarece.

O especialista afirma que o tempo de conexão com as atividades laborais associadas às demandas de trabalho com as da casa e os filhos, tudo em um mesmo espaço, podem provocar um estresse maior. “Os excessos nunca foram favoráveis para a saúde mental. Faz-se necessário procurar um lugar dentro de si, para reunir força e conciliar cada momento e situação. É muito importante a família e ciclos de amizades nesse processo, e é necessário buscar por esse tempo em que se faça outro tipo de coisa que não seja atividades laborais, para fomentar uma estabilidade mental saudável e benéfica”, pondera. 

Dentro deste processo, o psicólogo lembra que nem todas as pessoas que estão precisando demandar dessas funções, no momento, estão preparadas e assegura que os desafios são muitos, desde a mudança de rotina a adaptação de novas formas de exercer a atividade do dia a dia. “É um momento atípico que estamos vivenciando, bem como uma prática nova diante da necessidade”, reflete.

*Minimizando os danos –* Enquanto houver pandemia e o distanciamento social ainda for a melhor medida para combater a propagação do coronavírus, o home office, as aulas virtuais estarão presente na vida dos indivíduos. Porém, como não se pode fugir dessa realidade, a melhor saída é buscar minimizar os danos ocasionados, organizando melhor o tempo para evitar estafa mental ocasionando fadiga, crises de ansiedade, cansaço crônico e estresse.

“Manter uma boa convivência com familiares e procurar aliviar a mente com coisas que favoreçam o bem-estar - ouvir músicas, praticar algum tipo de atividades física nas dependências da sua residência, não se cobrar demais, buscar o equilíbrio para saúde mental, respeitar seus limites - intercalando com suas obrigações e deveres, são alguns dos princípios fundamentais para prevenção”, orienta o especialista.

Sobre o Sistema Hapvida
Com cerca de 6,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como o maior sistema de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, América, Promed e Ame, RN Saúde, além da operadora Hapvida. Atua com mais de 30 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 39 hospitais, 194 clínicas médicas, 42 prontos atendimentos, 177 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

*Foto internet

Postar um comentário

0 Comentários